terça-feira, 7 de junho de 2011

Depressão pós-parto: nós também sofremos





Assim como no caso das mulheres que acabaram de passar pela fase única da gestação, os homens também podem ser acometidos da depressão pós-parto. Embora possa parecer estranho, existe sim a depressão masculina pós-parto. Uma das pesquisas da Universidade de Oxford constatou que 2 meses após o parto cerca de 3,6% dos pais estudados aparentavam sofrer de depressão, com sintomas como ansiedade, mudança de humor, irritabilidade e sensação de falta de esperança. 

A imposição que o pai se incumbe de ser um super-homem e um super marido revela a necessidade de ajustar-se à nova vida. Assumir as responsabilidades de ter um filho no mundo não é tarefa fácil para ninguém. No entanto, assumir medos e receios não é algo muito comum na cabeça dos homens, pois a tendência natural de um homem é ignorar ou não dar importância a pensamentos ou sentimentos que podem revelar esta condição. Um pai que luta para estabelecer um laço emocional com o seu recém-nascido sente-se também desligado da sua mulher e até da vida, seguindo-se a sensação de que não é “merecedor” de ser pai e procurando justificação para este tipo de sentimentos. Ao mesmo tempo, surge uma luta para suprimir todos os sentimentos negativos devido ao embaraço, medo e frustração que lhe provocam.

Um bebê traz novas responsabilidades e a vida dos pais muda de forma arrebatadora. Depois da excitação inicial do parto e da intensa sensação de ser pai, vêm as noites sem dormir, as mudanças no estilo de vida, o sentir que ser pai é para sempre; tudo isto pode ser aterrador e um risco para desenvolver uma depressão pós-parto.
O estudo mostrou que, por sua vez, bebês cujos pais ficaram deprimidos tinham duas vezes mais problemas emocionais e de comportamento na pré-escola. A depressão pós-natal em mães pode afetar a qualidade dos cuidados que os bebês recebem e está associada aos distúrbios no desenvolvimento social, psicológico e físico. Assim da mesma maneira que ocorre com a mulher, o nascimento de um filho pode gerar insegurança no pai devido as modificações na estrutura familiar e então fica um alerta: qualquer sinal de que algo não vai bem com você, não hesite em procurar um especialista. Um em cada dez pais têm depressão pós-parto devido às mesmas causas que atingem uma em cada sete mães. Se a parceira estiver deprimida então, aí é que a probabilidade de depressão pós-parto masculina aumenta.
Homens e mulheres com doenças mentais pré-existentes têm mais risco de desenvolver depressão depois do nascimento dos filhos, mas nos homens isso pode acontecer ainda durante a gravidez, quando o relacionamento começa a mudar. Os homens podem se sentir deixados de lado enquanto suas parceiras viram o centro das atenções.
Tanto mães quanto pais podem se sentir cansados, estressados e culpados como consequência da depressão, mas reagem de forma diferente, o que pode tornar o diagnóstico mais difícil. Os homens ficam bravos e podem passar a beber demais e se envolver em relacionamentos extraconjugais. Já as mulheres ficam tristes.
A saída, segundo especialistas, é procurar terapias variadas, diálogos entre o casal e até massagem para aliviar a tensão. Escrever sobre os seus medos e desafios também podem ser uma solução. Olha aí mais uma funcionalidade da blogsfera materna/paterna no combate a doenças como a depressão. Fiquem atentos, ninguém está livre deste mal.

Abraços Paternos!
Fonte: http://www.cuidardebebe.com
http://demaeparamae.pt/
Fonte Imagem: www.google.imagens.com

2 comentários:

Than disse...

olha isso é mais comum do q muita gente pensa viu!
Depois q o bebe nasce, e qdo chega em casa a rotina muda COMPLETAMENTE na grande maioria dos casos pegando o casal de surpresa, meio sem saber o q fazer com aquele serzinho pequeno e dependente, com noites em claro etc e tal...é preciso MUITA estrutura emocional pra superar isso tudo.
Digo por experiencia.
Nao tive depressão, mas o conhecido baby blues. Uma tristeza profunda após o nascimento do filho. Sentia vergonha e medo. O casal fica distante sim (como homem e mulher claro), tudo se complica, a mulher fica sensivel, com a auto estima baixa...
Mas PASSA.
É só ter paciencia e MUITO amor dentro do lar q PASSA!

Beijos

martinha disse...

Olá td bem? Verdade tal situação é mais comum do que pensamos e o pior há mães que cometem atrocidades devido a este mal, afinam muitas ficam foras de si. Beijo e té+

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...